Você é do tipo que se paralisa de medo?

Ou é daqueles que se joga em tudo, sem considerar as conseqüências?

Estava hoje conversando com duas alunas de Pilates a respeito de sua evolução no trabalho e elas identificaram que o medo sempre foi o que mais as impediu de avançar. Falamos sobre como o medo é um sentimento sempre presente no novo, que pode nos paralisar, mas que tem sua importância também, pois ele pode nos proteger de maiores riscos.

E chegamos ao consenso de que o jeito é conseguir vencer o medo sem se arriscar muito, com cuidado.

Aquele tal de equilíbrio, certo?

Nos exercícios físicos isso é muito importante, pois se você não tem medo de nada pode se machucar, de tanto se arriscar.

Não mede as conseqüências, não consegue parar nos primeiros sinais de que já atingiu o seu limite, quer sempre muito mais do que pode suportar.

Resultado: lesões, dores, cansaço.

Daí não tem jeito, os treinos deverão ser suspensos para tratamento.

Por outro lado, o medo muito forte pode paralisar você, que não consegue avançar no trabalho, continua sempre fazendo as mesmas coisas.

Assim o seu corpo se acostuma com aquele estímulo e não se desenvolve mais.

O medo de um equipamento novo, de um exercício novo, medo de não conseguir. Estes medos precisam ser vencidos para que o corpo continue seu processo de ganho de força, alongamento, equilíbrio, seja lá quais forem seus objetivos.

Você precisa sempre ter um desafio na sua atividade física.

Um objetivo a ser atingido, uma meta.

Isso faz com que você consiga ir além, permanecer em atividade, motivado no seu processo de saúde.

Mas este desafio precisa ser possível, pois de outra maneira você acaba se frustrando, ficando escravo das suas metas e perde o maior benefício do exercício que é o se divertir, relaxar, ter saúde.

Outro aspecto é com relação à aderência ao exercício físico.

A aderência é sua capacidade de manter-se em exercício por um tempo prolongado.

Uma coisa muito comum, especialmente entre os sedentários, é iniciar o treinamento físico por indicação médica, fazer tudo com maior afinco nas primeiras semanas e logo depois desistir.

Quer fazer tudo de uma vez só, todas as aulas, todos os dias, faz muito mais que consegue, por empolgação. Depois não consegue manter o ritmo e acaba desistindo.

O exercício físico é fundamental para nossa vida, mas ele precisa ser prazeroso, relaxante, moderado para nossas capacidades, e pertinentes com nossas possibilidades. De outra forma, a continuidade estará comprometida e a sua saúde também.

Pense nisso.

Faça exercício físico rotineiramente, com moderação, com objetivos claros e metas atingíveis. Escolha uma modalidade que te dê prazer, são tantas as possibilidades no mercado. Cuidado com seus medos, não deixe que ele te paralise, mas ouça seu corpo, dê atenção aos seus sinais, aceite seus limites.

Este é o caminho para a saúde.

Simples assim.

Ana Paula Pessanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s