Pilates: muito mais que modismo

O destaque desta semana vai para a reportagem de capa da revista Isto é que aborda o método Pilates.

Criado pelo alemão Joseph Pilates na época da primeira Guerra Mundial, o método foi chamado primeiramente Contrologia, uma vez que se baseava principalmente no controle da mente sobre o corpo.

Como não tinha formação acadêmica, Pilates não tinha pretensões científicas na época de criação do seu método. No entanto, a sua experiência corporal (foi uma criança frágil e doente) o levou a profundas observações a respeito do seu corpo. Desta forma, desenvolveu exercícios e equipamentos e escreveu a respeito do seu método defendendo o ganho de força, flexibilidade, concentração, melhora do condicionamento físico e até mesmo da imunidade (coincidência ou não, Joseph Pilates e outros praticantes da contrologia passarem ilesos pela epidemia de gripe espanhola em 1918).

Sabemos que depois de sua morte, o método, que passou a ser divulgado por seus discípulos, recebeu influências de outras técnicas. Por outro lado, justamente por ser tão difundido e ter recebido tantos adeptos, despertou o interesse, a curiosidade e a suspeita por parte da comunidade médica e acadêmica.

É justamente sobre isso que a reportagem da revista se refere.

Tudo aquilo que Joseph Pilates falou a respeito de sua técnica começa a ser comprovado por estudos realizados em todo o mundo.

As pesquisas começaram a mostrar que o método é eficiente no fortalecimento da musculatura do tronco, que melhora a flexibilidade. É eficaz no tratamento das dores lombares, ganhando a simpatia de ortopedistas e reumatologistas.

Endocrinologistas passaram a indicar a modalidade como uma forma de estimular a prática de atividade física por pacientes com sobrepeso que não se adaptam ao ambiente de academias.  A melhora da postura, da auto-estima e da percepção corporal são fundamentais para que um programa de emagrecimento dê resultado.

A versatilidade dos equipamentos e acessórios utilizados no método permite que os exercícios sejam praticados por gestantes, idosos e crianças.

Diversos estudos utilizaram a técnica de Pilates no tratamento do câncer de mama, inclusive uma única meta-análise existente sobre a técnica fala justamente sobre este tema.

Atletas podem se beneficiar bastante com o método. Além do benefício do alinhamento postural e melhora da flexibilidade, é possível ganhar força em grupos musculares específicos, treinar o equilíbrio e a propriocepção. Passa a ser, portanto, um aliado tanto no tratamento e prevenção de lesões, como na melhora da performance. Objetivo este, conhecido há bastante tempo por bailarinos, os primeiros adeptos de método.

O único alerta fica para o cuidado na escolha do local e do profissional que irá acompanhá-lo na prática do Pilates. O seu sucesso fez com que surgissem muitos studios, nem todos com profissionais habilitados e competentes. Fisioterapeutas, educadores físicos e profissionais da dança são os profissionais indicados para esta atividade. O seu objetivo ao iniciar a prática também determina qual destes profissionais deve procurar.

Para ler a reportagem da Revista Isto é na íntegra, clique aqui.

Ft. Karina Santaella

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s