Alongamento. Fazer ou não fazer? Em que momento? De que maneira?

Tenho lido e conversado muito a respeito de fazer ou não, alongamento antes de um treino de corrida, por exemplo. Mas, o que é consenso, é que o tema ainda NÃO é consenso.

Alguns estudiosos dizem que o alongamento antes do treino não é bom, pois a musculatura ficaria mais vulnerável à lesão. Outros dizem que alongamento não faz mal algum e que prepara o músculo para a atividade a ser realizada.

Porém, ainda não existem trabalhos científicos que provem quais das teorias é a mais correta.

Parece que há consenso apenas em fazer alongamento depois do treino, para relaxar os músculos exigidos durante o esforço.

Atualmente existe o que se têm chamado de alongamento dinâmico, com o intuito de “aquecer” o corpo para o esforço.

Acho, sinceramente, que não é adequado iniciar o treino de corrida ou de qualquer modalidade, sem nenhum preparo. Estes momentos iniciais ajudam a acordar, quando o treino é realizado logo pela manhã, ou para desacelerar, quando começa após um dia corrido e estressante de trabalho.

Um espreguiçar longo, uma respiração mais ampla, movimentar o corpo com calma e amplitude ajuda a sintonizar a pessoa para a atividade que ela irá iniciar.

Não sei se o alongamento convencional ou o dinâmico, mas sem dúvida, estes momentos iniciais são muito importantes. Não se deve iniciar o treino com uma corridinha leve como aquecimento.

Quanto ao alongamento no final do treino, este sim, deve ser bem completo, com atenção a todos os grupos musculares exigidos durante o treino.

E a maneira correta de se alongar?

Bom, deve-se atingir o limite articular para aquele determinado movimento, evitando compensações e dores exageradas, sempre respeitando os limites individuais. A manutenção desta posição deve ser próxima de 20 segundos e deve-se evitar aqueles “tranquinhos” no final da amplitude.

A respiração também é importante neste momento, pois ela ajuda a relaxar a musculatura.

Quando o alongamento está sofrido demais a pessoa tende a fazer uma apnéia (parada respiratória), mas este é um recurso ruim, pois a expiração longa (saída do ar) ajuda no alongamento muscular e diminui o desconforto.

Observe se você utiliza este recurso e procure diminuir a intensidade do alongamento, respeitando o seu limite e evitando a dor exagerada.

Este alongamento deve ser de todos os seguimentos do corpo.

Numa corrida, por exemplo, as pessoas acham que precisam alongar apenas os músculos das pernas, mas o exercício exige muito das outras partes do corpo, como tronco, braços e pescoço.

Se você costuma treinar sozinho, procure a ajuda de um especialista para orientação de exercícios de alongamento corretos para sua atividade. Você pode procurar um fisioterapeuta ou um educador físico e qualquer um deles poderá te ajudar muito a se exercitar sem lesões.

Agora, se você treina com um grupo ou em uma academia ou studio, onde já tem um profissional capacitado para te ajudar, procure fazer a aula completa, sem pular o aquecimento inicial e o alongamento final. Isso fará toda a diferença.

Pense nisso.

 

Ft. Ana Paula Pessanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s