Alterações posturais nos membros inferiores

Muita gente pensa que postura está relacionada apenas com os desalinhamentos da coluna vertebral, mas isso não é verdade.

Para que se tenha uma boa postura é necessário que o arranjo entre as articulações do corpo seja harmonioso e que do ponto de vista biomecânico, seja eficaz. Ou seja, além de ser agradável visualmente, não deve haver sobrecarga nas articulações e ligamentos e os músculos devem receber um esforço excessivo.

Para que essa harmonia seja respeitada, existem alguns parâmetros de alinhamento utilizados para que possamos avaliar e classificar as alterações posturais.

Pois bem, já falamos em outros momentos a respeito das alterações da coluna vertebral e seus sintomas relacionados.

No entanto, o aumento do número de queixas de dores e lesões em joelhos, mostra a importância de falarmos a respeito da postura e alinhamento dos membros inferiores.

Nem todas as dores e lesões de joelhos são originadas de alterações posturais. Na verdade, muitas delas são decorrentes de traumas (lemos notícias a esse respeito todas as semanas no noticiário esportivo) ou de sobrecargas de atividades tanto esportivas como de trabalho. Além destas, as alterações congênitas e a predisposição genética também contribuem para o surgimento das doenças de joelho.

Mas em todas as situações acima, seja no momento da reabilitação ou na prevenção de futuros desconfortos, o cuidado com o alinhamento adequado dos joelhos e a substituição de hábitos inadequados por outros que protegem a articulação são fundamentais.

O alinhamento dos joelhos pode estar relacionado com o posicionamento da pelve e também com o alinhamento dos pés na tentativa de uma compensação funcional. Ao exame postural estas relações devem ser observadas.

Ao olharmos o indivíduo de perfil, se utilizarmos um fio de prumo, a linha deve passar pelo centro da articulação do quadril, pelo centro da articulação do joelho e através do maléolo lateral (aquele osso saliente na lateral do tornozelo). Desta forma, as articulações estarão em condição estável.

Devido à doenças pré-existentes, fraqueza muscular ou frouxidão ligamentar, o joelho pode encontra-se levemente flexionado ou hiperestendido. A estas alterações podem se somar leves rotações, geralmente para dentro, mantendo as patelas direcionadas internamente.

Num outro plano, ao observarmos o indivíduo de frente ou de costas, a partir de uma posição neutra de quadril, os joelhos e tornozelos devem seguir alinhados, com as patelas direcionadas diretamente para frente.

Se, na tentativa de unir as pernas, os joelhos se encontram antes dos tornozelos, temos os chamados joelhos valgos. Mas se os tornozelos se encontram e os joelhos permanecem afastados temos os joelhos varos.

A estas alterações também podem ser adicionadas rotações do fêmur, desalinhamento de patela, quadris muito largos em relação aos joelhos levando a uma angulação aumentada do fêmur (mais comum em mulheres) e alterações na pisada, levando a uma compensação na posição dos joelhos.

Existem componentes estruturais que não podem ser modificados como arqueamento ósseo, mais comum na tíbia e fíbula. Vemos também alterações que passam de geração a geração, apresentando-se como uma característica familiar.

Mesmo com todas estas variáveis, muitas destas alterações podem ser minimizadas.

É fundamental uma avaliação postural completa, testes de flexibilidade e de força muscular, levando em consideração a idade, hábitos de vida e atividades de vida diária.

Técnicas como o RPG, por exemplo, preocupam-se com as relações musculares e alinhamento dos demais segmentos corporais na busca pela correção do posicionamento dos joelhos.

Durante a execução dos exercícios de Pilates ou mesmo na utilização da cinesioterapia para tratamento de uma lesão de joelho, o cuidado com o posicionamento e a conscientização corporal do paciente serão fundamentais para o sucesso da atividade.

Desta forma, os músculos poderão ser trabalhados de maneira adequada, fortalecendo os músculos fracos (que darão sustentação e estabilidade à articulação), flexibilizando os músculos encurtados e conseqüentemente minimizando as alterações posturais e prevenindo futuras lesões.

Perceba-se!

Ft. Karina Santaella

Anúncios

Uma resposta para “Alterações posturais nos membros inferiores

  1. In this awesome scheme of things you’ll secure a B- with regard to effort. Where you lost everybody was first on the particulars. You know, as the maxim goes, details make or break the argument.. And it couldn’t be more true in this article. Having said that, permit me reveal to you exactly what did deliver the results. The writing is certainly really persuasive which is probably the reason why I am making an effort to comment. I do not really make it a regular habit of doing that. 2nd, even though I can notice a jumps in logic you come up with, I am definitely not certain of exactly how you seem to unite your details that produce the actual conclusion. For the moment I shall subscribe to your issue however hope in the foreseeable future you actually connect the dots better.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s