É de pequenino que se ensinam os bons hábitos

postura_crianca1_145111113936122As dores nas costas afetam grande parte da população.  Cerca de 80% da população será acometida de dores na região lombar em algum momento de suas vidas e 60% na região cervical.

Na maioria dos casos estes sintomas desaparecem em poucos dias, espontaneamente ou com o uso de medicamentos ou outros tratamentos paliativos, que visam apenas à melhora da dor.

Quando o sintoma de dor nas costas estiver associado a outras queixas como febre, dor óssea localizada, perda de peso, alteração de controle de urina ou fezes, sintomas neurológicos ou pré-existência de tumores, existe a necessidade de investigação médica cautelosa, para diagnóstico e tratamento adequado o mais rápido possível.

Na maioria das vezes, no entanto, estas queixas estão relacionadas a fatores ocupacionais, falta de condicionamento físico, excesso de peso, distúrbios do sono e hábitos inadequados.

O Programa Globo Repórter da última sexta-feira (01/02/2013) foi dedicado a este tema e mostrou o caso de muitas pessoas com dores crônicas em busca de tratamento. Eram histórias de pessoas com muita dor, histórias de sofrimento e limitações em busca de tratamento e principalmente de alívio.

Os tratamentos propostos variaram de cirurgias, fisioterapia, Pilates, RPG, meditação e etc. Algumas histórias tiveram finais felizes, outras nem tanto.

As evidências da literatura nos mostram que os exercícios, bem como as orientações ao paciente são fundamentais para o tratamento da dor crônica.  A conclusão a que chegamos é que se não houver uma mudança de hábitos e de atitudes, as dores não irão embora. Não existe nenhum tratamento milagroso.

E bons hábitos devem ser ensinados na infância!

Assim como fazemos com relação ao cuidado com os dentes, a higiene corporal e a alimentação de nossas crianças, nós devemos também orientá-las com relação à postura.

Mais do que usar aquela famosa frase – “Olha a postura menino!” – prestar atenção ao mobiliário, insistir na posição correta ao sentar e estimular o equilíbrio entre atividade e repouso são atitudes que podem ser bem mais eficazes.

Na volta às aulas, a escolha da mochila, por exemplo, não deve ficar totalmente a critério das crianças e adolescentes.

Como recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde), a carga máxima a ser carregada por um indivíduo não deve ultrapassar mais do que 10% do próprio peso corporal.  As mochilas escolares freqüentemente desrespeitam esta orientação. A situação fica ainda mais grave quando vemos crianças pequenas carregando mochilas nas costas, quando o modelo mais apropriado seriam as mochilas com rodinhas. Falei um pouco mais sobre este assunto no post “Qual o peso da mochila do seu filho?”, de fevereiro de 2012. Provavelmente seu filho ainda não tem conhecimento suficiente para saber que a mochila mais bonita não é necessariamente a mais adequada, cabe aos pais essa orientação.

Para o uso do computador ou para fazer lição de casa, sentar-se corretamente é fundamental. Para isso, observe se a altura da cadeira e da mesa permite que seu filho apóie os pés no chão, apóie as costas no encosto da cadeira e não fica curvado para ler ou escrever. O ambiente  deve ser claro e a posição da mesa com relação à luz também é importante, já que reflexos e sombras também irão atrapalhar a visão. Controle o número de horas de uso de computadores e videogames e sugira ao seu filho que intercale esta atividade com outras, também divertidas, mas que exigem mais movimentação corporal.

Na hora de dormir, seja firme com relação ao horário. Uma boa noite de sono é super importante para restaurar o corpo e a mente. A melhor posição para dormir é de lado. Dormir de bruços pode não ser prejudicial para uma criança pequena, porém na adolescência é bastante comum o surgimento de dores lombares relacionadas a alterações das curvaturas fisiológicas da coluna vertebral. Neste caso, as orientações são as mesmas dadas a um adulto. Na posição de bruços há uma acentuação da curvatura da região lombar (lordose) e o desalinhamento da coluna já que a cabeça deve virar para um dos lados.  Estudar deitado na cama também não é uma boa opção.

Todas as orientações passadas aos adultos com relação à postura, podem ser ensinadas às crianças. Dobrar os joelhos para pegar objetos no chão, subir em degraus para pegar objetos em lugares altos, evitar atividades assimétricas, mudar de posição freqüentemente, adequar o mobiliário à altura do usuário e equilibrar atividade e repouso, são conceitos úteis para toda vida.

O uso do salto alto tão prejudicial na idade adulta não deve ser estimulado na infância. Pode levar a entorses e quedas e sobrecarregar as articulações dos joelhos e da coluna vertebral que ainda estão em desenvolvimento. As adolescentes devem ser orientadas a usá-lo com parcimônia, preferindo para o dia-a-dia, calçados mais confortáveis e apropriados ao seu estilo de vida.

Tudo isso pode ser feito de maneira tranquila  em pequenas doses diárias, sem brigas e imposições. Tente incorporar estes hábitos na vida de seus pequenos, explique para ele como a postura é importante na vida das pessoas e quais os benefícios de cuidar de seu corpo desde pequeno. Ele pode até não entender muito bem o que isso significa neste momento, mas irá sentir os efeitos destes hábitos no futuro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s