Efeitos nocivos do trabalho em excesso

dia-do-trabalho-tarcila[1]Nesta véspera de Dia Internacional do Trabalho, fica difícil não refletir sobre os efeitos nocivos do excesso de trabalho para o corpo.

A jornada de trabalho cada vez mais longa, o estresse causado por fechamentos e metas, aquele chefe que não colabora. Isso acaba gerando uma atmosfera ruim no ambiente de trabalho. Se for somado a outros fatores, como má postura, ergonomia inadequada e sedentarismo, isso se transforma em uma das maiores causas de dores musculoesqueléticas da atualidade.

E se a própria função já favorece dores e limitações, muito pior. Este é o caso de quem trabalha carregando e descarregando coisas muito pesadas, faz tarefas domésticas, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, professores de pré-escola e tantos outros.

Mas o que fazer se ficar sem trabalhar não é o caso?

Primeira coisa a fazer é refletir se este trabalho está correspondendo aos seus desejos e necessidades, pois passamos a maior parte do tempo trabalhando, e fazer o que não se gosta ou em um ambiente ruim… Isso não é nada bom para sua saúde física e mental. Esta reflexão é importantíssima! Caso seja necessário existem profissionais capacitados para te auxiliar nesta tarefa.

O próximo passo é verificar se o ambiente de trabalho gera algum desconforto. Uma cadeira velha ou desconfortável, má iluminação, tela do computador muito pequena são alguns exemplos comuns de ergonomia inadequada. Existem ajustes simples que ajudam muito a prevenir dores.

E a função propriamente dita, causa algum desconforto? Se sim, se faz necessário uma orientação específica sobre como melhor realizá-la.

Nestes dois casos, a fisioterapia pode ajudar e muito.

Orientar como pegar a criança pequena no colo, a melhor maneira de posicionar a cadeira durante o atendimento dentário, qual a melhor cadeira para ficar sentada e como intercalar repouso e atividade. Estes são alguns recursos da fisioterapia para prevenir ou tratar de pessoas com dores causadas pela atividade profissional, por exemplo.

Orientar exercícios adequados de alongamento, fortalecimento e estabilização muscular. Fazer uso de recursos analgésicos específicos para diminuir as dores, assim como a massagem local. Estes são também recursos terapêuticos para este mesmo fim.

E por último, mas não menos importante, evitar o sedentarismo, escolhendo dentre tantas opções de atividades físicas encontradas no mercado, a que te dá mais prazer, que cabe no seu bolso e que está próxima a você. São muitas as opções, mas ficar parado, ganhando peso e perdendo massa muscular só te fará mal.

Pense nisso!

Trabalhe com prazer, bem organizado em sua postura e movimente-se!

Perceba-se!

Ft. Ana Paula Pessanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s