Alterações ortopédicas em crianças: que cuidados devemos ter?

balletCriança também pode sentir dor, e quando isso acontece, a origem deve ser investigada pois deve haver algo de errado.
Sabemos que nos dias de hoje, a infância é bem diferente da infância de 30 anos atrás. As brincadeiras de rua são menos constantes e muitas vezes a atividade física é restrita às aulas de educação física ou atividades extracurriculares.

Pode acontecer de crianças sentirem dores em decorrência da falta de hábito do exercício e também de sobrecargas como mochilas pesadas ou excesso de tempo em frente ao videogame.

No entanto, alguma alterações ortopédicas (congênitas ou não) podem estar por trás destas dores. Vamos a algumas delas:

Pés planos: conhecidos popularmente como pés chatos, são considerados normais até os dois anos de idade. Trata-se de uma diminuição do arco plantar, que é sustentado por músculos. As botas ortopédicas usadas no passado foram substituídas por palmilhas (de preferência feitas sob medida) e por tênis que oferecem uma maior sustentação na parte medial do pé. Além disso, é importante estimular o uso dos músculos intrínsecos do pé, o que pode ser feito ao se caminhar descalço em terrenos irregulares (grama, areia, etc).

Hiperlordose lombar: é o aumento da curvatura (fisiológica) da região da cintura. Pode ser uma das responsáveis pela dor nas costas. Facilmente detectada na avaliação postural, pode ser minimizada com exercícios corretivos de fortalecimento dos músculos abdominais e alongamento dos músculos das costas e dos flexores do quadril (responsáveis pela hiperlordose). Algumas atividades podem estimular o aumento desta curvatura se não forem bem orientadas, como é o caso do ballet, da ginástica olímpica, das danças em geral e do futebol.

Joelhos valgos: vulgarmente chamados de “joelhos em x”, são mais comuns nas meninas, mas podem também estar presentes nos meninos. Podem estar associados a alterações no arco plantar (pés planos), e também a frouxidão ligamentar. No caso dos joelhos valgos, ao aproximar as pernas, os joelhos encostam um no outro, antes que os pés estejam unidos. Especialmente nas atividades que envolvam corrida e saltos, esta conformação das pernas pode sobrecarregar a articulação dos joelhos e levar a desgastes futuros tanto na região da patela como na articulação tibiofemoral. Alongamentos e fortalecimento dos músculos da coxa podem minimizar o problema.

Outros alterações relacionadas a crianças e adolescentes já foram abordadas aqui em posts anteriores como a escoliose e a frouxidão ligamentar.

O alerta que fica é que a atividade física é de extrema importância em todas as etapas da vida. Os pais devem estar atentos às queixas de seus filhos e buscar profissionais preparados para acompanhar a atividade da criança.

As dores são um sinal de alerta importante e muitos problemas futuros podem ser evitados com uma boa orientação na infância. O fisioterapeuta deve ser consultado para trabalhos corretivos posturais, orientações aos pais e parceria com os educadores físicos.

Colabore com uma infância ativa para seus filhos.

Perceba-se!

Ft. Karina Santaella

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s