Correndo em subidas e descidas

montanha[1]A moda agora entre corredores é fazer prova em montanha! Muita subida, descida, trilhas estreitas, paisagem belíssima, aventura e corrida!

Mas como se preparar para este desafio?

O treinamento é o mesmo?

A biomecânica da corrida precisa de ajuste?

São tantas perguntas!

O importante é saber que cada tipo de desafio exige uma habilidade diferente do atleta e para que isso seja alcançado, o treinamento e a biomecânica precisam ser ajustados sim!

Um velocista, por exemplo, precisa de muita força muscular para ter potência do começo ao fim da corrida. Já um maratonista necessita de muita resistência muscular e cardiopulmonar. Mas o que será preciso ter para ser um atleta de aventura em montanhas?

Como os terrenos costumam ser acidentados, com percursos que incluem muita subida e descida, se você não fizer um treinamento adequado para estes desafios, o risco de se machucar será bem maior.

Para vencer o esforço muscular e cardiorrespiratório que as subidas e descidas exigem, a orientação mais comum é submeter o atleta a condições próximas do que ele encontrará na prova durante os treinos.

Agora, tão importante quanto isso é fazer um treinamento complementar com exercícios de força, estabilização, propriocepção, coordenação e alongamentos, pois este atleta precisará estar atento, forte e resistente, com tornozelos hábeis em ajustar-se às condições do terreno para evitar quedas e lesões.

Quanto à biomecânica, a postura durante as subidas e descidas precisa ajustar-se também! É importante saber que o tronco deve ser levemente flexionado para frente durante uma subida e que na descida ele deve ser levemente deslocado para trás, com cuidado para não aumentar a curvatura fisiológica da coluna lombar.

Também na subida, os músculos posteriores da coxa são os mais solicitados para o movimento, enquanto que na descida o esforço maior será do quadríceps que deve controlar os movimentos dos joelhos, evitando queda e dor articular.

Uma prova de corrida com muitos atrativos, mas que exige muita disciplina e boa orientação profissional para que não haja nenhuma surpresa desagradável depois.

Procure seu instrutor, ajuste seu treino, faça alongamentos e fortalecimentos.

Ao primeiro sinal de dor e lesão, procure um médico especialista para um diagnóstico precoce.

Mas saiba que a fisioterapia pode te ajudar tanto no pós-lesão quanto na prevenção. Entender os mecanismos de lesão, os ajustes posturais em cada fase do desafio farão a maior diferença.

Cuide-se! Divirta-se! Perceba-se!

Ft. Ana Paula Pessanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s