A Copa vai começar: rumo ao Hexa BRASIL!

Imagem

Estamos a dois dias do início da Copa do Mundo e obviamente não se fala em outra coisa. Aliás o assunto irá predominar durante o próximo mês e por aqui não podia ser diferente.

Confesso que não sou uma aficionada por futebol e não costumo acompanhar os diversos campeonatos ao longo do ano. Mas gosto de esporte e já tive alguma experiência com atletas universitários. Entre outras coisas, pude perceber que fazer parte de uma equipe é sensacional!

Copa do Mundo é outra história, todo mundo se envolve, arrisca dar palpites sobre a escalação dos times e não tem como ficar de fora disso tudo.

As imagens veiculadas na imprensa são maravilhosas e resumem a minha paixão e a razão de ter escolhido a profissão de fisioterapeuta: o fantástico movimento humano!

O esporte (e principalmente o esporte em nível profissional) leva o corpo humano ao extremo. A paixão e a motivação fazem com que se ultrapasse os limites facilmente. O importante é alcançar o objetivo, a vitória, o Gol.

As lesões fazem parte do jogo (aliás, observá-las é uma das partes mais interessantes do jogo na minha opinião…). O avanço da medicina esportiva, maior integração da equipe de preparadores físicos, fisioterapeutas e técnicos, tem sido responsáveis pela prevenção de muitas lesões.

Em geral as lesões “evitáveis” são aquelas decorrentes de um desquilíbrio muscular em função das características individuais de um atleta, de alterações posturais e biobecânicas que possam favorecer a um gesto desportivo inadequado e de um descondicionamento físico.

Algumas lesões por contato direto são inevitáveis. Foi o caso do alemão Marco Reus no amistoso contra a Armênia. Uma entorse de tornozelo foi resposável pela ruptura parcial dos ligamentos do tornozelo e comprometeu sua participação no campeonato. A boa técnica e o bom preparo físico podem contribuir para que o impacto seja menor ou a recuperação mais rápida, mas nem sempre é assim.

A sobrecarga ao longo dos anos da prática do esporte pode trazer consequências e problemas crônicos. Provavelmente a sensação de prazer a recompensa seja tão grande que os atletas parecem não se preocupar muito com estes efeitos nocivos a longo prazo.

O francês Franck Ribéry sofre de lombalgia crônica e as dores chegaram a um nível em que ele teve que fazer a difícil escolha entre cuidar de sua lesão ou jogar uma Copa do Mundo.

Nem mesmo Cristiano Ronaldo ficou de fora do quadro de lesões. O estiramento dos músculos posteriores da coxa e a tendinite no joelho são característicos de excesso de esforço e pouco tempo de recuperação muscular. Após ser campeão da Liga dos Campeões da Europa, o atleta vem recebendo treinamento diferenciado do restante da equipe para ter condições de defender seu país na Copa do Mundo.

Diversos outros atletas sofreram lesões que os tiraram a possibilidade de jogar o Campeonato de Futebol mais importante de suas carreiras.

Nossa seleção fez um jogo aparentemente sem muita emoção na última sexta-feira e eu espero sinceramente que o motivo tenha sido o de evitar lesões desnecessárias a esta altura dos acontecimentos.

A partir de quinta-feira nossos atletas deverão entrar com tudo e nós iremos acompanhar cada jogada, cada gol, cada lesão (de preferência dos adversários).

Desejamos boa sorte e bom trabalho a todos os jogadores, comissão técnica e equipe médica!

Vamos lá BRASIL! Rumo ao Hexa!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s