Pilates Clínico, o que é isso mesmo?

pilates beneficiosSou fisioterapeuta há mais de 20 anos e trabalho com postura desde que me formei. Durante o período da minha faculdade, a técnica inovadora mais comentada era a RPG (Reeducação Postural Global) e nem se ouvia falar tanto em Pilates aqui no Brasil, embora o método já fosse difundido nos EUA e em outros países.

Por aqui, a primeira referencia a estúdios de Pilates data de 1991, tendo este primeiro sido introduzido pela coreógrafa Alice Becker Denovaro em Salvador. Mas em um curto espaço de tempo (menos de uma década) esta técnica se pulverizou, virando uma verdadeira febre entre brasileiros.

Desde sua criação no início do século passado por Joseph Pilates, esta metodologia de exercícios inicialmente chamada de “contrologia” por seu criador, vem se mostrando benéfica tanto para o corpo como para a mente, pois gera bem estar, flexibilidade, força, controle e profundo conhecimento de seu próprio corpo na busca de qualidade de vida.

Os movimentos são fluidos, lentos, realizados com concentração e precisão, respeitando o ritmo respiratório, sendo este sempre amplo e tridimensional, envolvendo todos os músculos e ossos deste sistema complexo, o que proporciona uma ótima sensação de relaxamento e bem estar.

Inicialmente aqui no Brasil os cursos eram mais direcionados aos profissionais da dança e da educação física, mas por volta de 2001 e 2002, começaram a chamar a atenção dos médicos e fisioterapeutas, que viram no método um ótimo recurso terapêutico.

Desde então e cada vez mais, há fisioterapeutas procurando cursos de formação em Pilates ou trabalhando com essa técnica e médicos indicando o método como recurso terapêutico.

Atualmente, muitos praticantes procuram por instrutores fisioterapeutas com o intuito de praticar os exercícios do Pilates, seja para se livrar de alguma dor como para evitar lesões. E a esta indicação denominou-se Pilates Clínico ou Terapêutico.

O que difere um tipo de Pilates de outro é o foco do trabalho, pois os exercícios, os aparelhos e recursos acessórios utilizados durante o programa são os mesmos.

Quando o objetivo é terapêutico, o profissional seleciona dentre todos os exercícios do método, os mais indicados para aquele paciente até que ele seja capaz de realizar uma aula completa. Nesta fase, faz-se necessário procurar um fisioterapeuta.

Mas se for para realizar como manutenção ou como atividade física, qualquer instrutor (fisioterapeuta ou não) pode orientá-lo. O importante, realmente, é procurar um profissional comprometido com um trabalho INDIVIDUAL, CONSCIENTE, FLUIDO, AMPLO e HARMONIOSO, que respeite os princípios do método, seus limites individuais e seus objetivos ao procurar por este programa.

Perceba-se!

Ft. Ana Paula Pessanha

Crefito 3/ 16.358 – F

Anúncios

2 Respostas para “Pilates Clínico, o que é isso mesmo?

  1. Excelente texto! Também sou fisioterapeuta (aluna, ops! Ex aluna da Karina) e alguns momentos noto uma “bagunça” acerca do que é e para que serve o método, e no meio dessa miscelânea as vezes vejo alguns colegas desmerecendo o trabalho de colegas educadores físicos, mas também vejo alguns colegas educadores tentando atuar como fisioterapeutas… E nessa confusão nossos pacientes ficam perdidos e com toda razão! Acredito que o método pode ser para todos, o importante é ter claro seus objetivos! Achei muito esclarecedor! PARABENS!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s