A importância do exercício para os pacientes com fibromialgia

2798736890_2f34300e46_mNo dia 12 de maio celebrou-se o Dia Mundial do combate à Fibromialgia.

A Fibromialgia é uma doença musculoesquelética crônica caracterizada por dor difusa. Em geral o paciente tem dificuldade em localizar e descrever a dor. Além da dor, outros sintomas acompanham a doença, como sono não restaurador (a pessoa acorda cansada, com a sensação de que não dormiu) e fadiga crônica. O toque pode ser doloroso e fatores emocionais costumam interferir bastante no problema.

Devido ao seu diagnóstico basicamente clínico, uma vez que não existem exames laboratoriais e de imagem que comprovem a fibromialgia, algumas pessoas (e às vezes até mesmo alguns profissionais de saúde) suspeitam da veracidade dos sintomas. No entanto, a doença já é bastante descrita na literatura e existem muitos profissionais especialistas no assunto.

Como a causa da fibromialgia não foi totalmente esclarecida, não existe uma cura definitiva para essa condição. No entanto, com os tratamentos atuais é possível que o paciente fique sem dor ou com a dor num nível muito baixo. É fundamental que o paciente receba orientações adequadas para tomar conhecimento das medidas disponíveis para o controle da doença.

Uma condição dolorosa crônica tende causar impactos físicos, emocionais e sociais. A dor limita o movimento e as atividades profissionais e de vida diária.

Qualquer tratamento deve levar em conta todos estes fatores.

O tratamento medicamentoso busca a melhora do sono e a adequação dos níveis dolorosos do paciente. Porém é fundamental que o tratamento seja multidisciplinar.

Do ponto de vista da reabilitação, há evidências na literatura de que a atividade física seja benéfica no controle dos sintomas. Apesar do receio de que o exercício possa provocar dor, é bastante seguro praticá-lo, desde que orientado por um profissional especializado.

O tipo de exercício mais indicado e com melhores resultados é o exercício aeróbico.

O que percebemos na prática é que existe uma dificuldade do paciente iniciar uma atividade aeróbica na presença de sintomas dolorosos e por isso outras intervenções complementares são importantes.

O fortalecimento muscular irá oferecer condições para uma prática aeróbica mais segura, com menos dor e sem risco de lesões.

Os exercícios regulares de alongamento irão favorecer o trabalho muscular e diminuir a tensão.

Os exercícios posturais e de percepção corporal serão fundamentais no processo de reorganização corporal afetado pelos longos períodos de dor.

A conscientização sobre a fibromialgia e a prática de atividades que integrem corpo e mente irão contribuir positivamente no tratamento.

O Pilates tem se mostrado um forte aliado das mulheres com a doença, uma vez que associam o trabalho de força e flexibilidade com a integração com a mente, conscientização da respiração e melhora da percepção corporal.  O Pilates clínico, tema de nossa última publicação seria o mais indicado para este caso.

Perceba-se!

Ft. Karina Santaella / Crefito-3/17051-F

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s