A relação da respiração com a postura e as tensões musculares

A respiração é uma função fisiológica indispensável para a vida humana. Ela acontece de forma automática e tem por objetivo manter a oxigenação de todas as células do nosso corpo.

Podemos perceber variações no padrão da respiração entre as pessoas. Algumas respiram predominantemente “pela barriga” (respiração diafragmática), outros utilizam mais o tórax (respiração torácica ou apical) e alguns utilizam as duas regiões (respiração mista).

Apesar de não haver prejuízo para a capacidade respiratória em detrimento do padrão respiratório, a utilização de músculos acessórios da respiração ou a falta de mobilidade do tórax pode trazer prejuízos para o sistema musculo esquelético. Além disso, posturas inadequadas ou permanência longa na posição sentada podem restringir o movimento da caixa torácica.

É necessário ter espaço para o movimento livre do tórax e deve haver um equilíbrio entre a inspiração e a expiração.

Situações de ansiedade, tensão e medo, bastante comuns no momento atual, fazem com que tenhamos uma tendência a inspirar mais do que expirar. É comum, portanto surgirem dores no pescoço e nos ombros, já que os músculos situados nestas regiões (escalenos e trapézios) acabam sendo solicitados por uma “falsa demanda respiratória”.

A pouca mobilidade da caixa torácica durante o processo de respiração também pode estar associada a dores nas costas, sobretudo na região torácica e na região lombar alta. Estas dores podem estar associadas ao encurtamento do músculo diafragma.

Este músculo, fundamental para a respiração, tem uma porção que se fixa na parte anterior e lateral do tórax e outra porção na parte posterior. Porém a grande maioria das pessoas utiliza apenas a porção anterior.

Por isso, quando pensamos em respiração, o movimento deve acontecer em toda a circunferência do tórax, assim todas as porções do diafragma estarão sendo estimuladas. Isso pode ser difícil para algumas pessoas e exige observação e treino.

Exercícios para a melhora da consciência corporal envolvem o reconhecimento do próprio corpo e incluem a percepção da respiração e suas relações com os músculos da coluna vertebral e suas curvaturas fisiológicas, bem como evidenciam os encurtamentos musculares que necessitam ser trabalhados.

Fazer uma pausa para um longo suspiro, alguns minutos de meditação ou simplesmente um minuto com os olhos fechados e a observação do movimento respiratório são estratégias para começar esse trabalho de percepção corporal e que contribuem para o alívio das tensões e podem ser a chave de uma rotina mais equilibrada.

Inspire, expire e perceba-se!

Ft. Karina Santaella / crefito-3 / 17051-F

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s